quarta-feira, 11 de novembro de 2009

O Apagão da Fé

                                                                                                                                                     
O brasileiro nessa terça-feira, 10 de novembro, viveu um apagão que atingiu 5 estados da Federação. Sites como G1, Estado de S. Paulo, Globo on line entre outros ficaram fora do ar. Até municípios do Paraguai ficaram as escuras. O apagão foi notícia no exterior em jornais como o New York Times. A causa mais provável é que teria sido “fatores atmosféricos”, segundo o Ministério de Minas e Energia do Brasil.

Esse apagão de energia elétrica nos remete a outro apagão que tem ocorrido com muita freqüência em nossos dias, o apagão da fé.

As Sagradas Escrituras nos dizem em 1 Tm 4:1-2: “Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios;
Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência”.

O apagão da fé advertido pelo Apóstolo Paulo começou quando o Imperador Constantino, no ano 325 D.C transformou o Evangelho em Religião, subvertendo a fé com o Poder Político do Estado. Constantino não acreditava na sua versão estatal do Evangelho, tanto que ele só foi batizado em seu leito de morte. A partir desse momento vemos a criação da Igreja Católica Apostólica Romana, que compatível com o Evangelho não tem nada e que transformou a fé numa grande salada de superstições, mundanismo, heresias e mentiras. Tudo comprovado pela História.

Por volta do ano de 1516, o monge agostiniano Martinho Lutero, Doutor em Teologia, começa a lutar contra o blecaute da fé promovido pela Igreja Católica, pregando contra as distorções do Evangelho ensinadas pelo clero católico, entre elas as indulgências, a venda de perdão dos pecados para financiar a reforma da Basílica de São Pedro.

Em 31 de Outubro de 1517, Lutero proclama as suas 95 Teses nas portas do Castelo de Wittemberg, a fim de discutir e sanar o blecaute da fé patrocinado pela Igreja Católica, criada por Constantino. O fato é o estopim para o início da Reforma Protestante, que ocorre em diversos países do Velho Mundo.

Hoje em dia vemos o apagão da fé personalizado na Teologia da Prosperidade, criada pelo Pastor norte-americano Essek. M Kenyon e cujo nome de maior destaque foi o Reverendo Kenneth Hagin.

A Teologia da Prosperidade criou verdadeiros Frankensteins da fé como Benny Hinn, Bispo Macedo, Missionário R.R.Soares, Apóstolo Waldemiro Santiago, Apóstolo Estevam Hernandes, Apóstola Valnice Milhomens entre muitos outros, que subvertem o Evangelho de Jesus Cristo.

O apagão da fé é a substituição das verdades eternas do Evangelho pregado por Jesus Cristo por um coquetel de superstição, histeria coletiva, ensinos mentirosos, promoção do ego pessoal e estimulo da ganância humana. É a transformação das Boas Novas da Salvação em métodos de explorar a fé alheia para obtenção de vantagens materiais e financeiras.

No Coliseu os mártireis do Evangelho morriam pela sua Fé Genuína, hoje em dia vemos jovens e adultos em eventos gritando a plenos pulmões “Renascer até morrer”, em nome de uma versão distorcida e monstrenga do Evangelho de Jesus Cristo.

Esse apagão da Fé Genuína reforça ainda mais a Grande Comissão de Jesus Cristo anunciada em Marcos 16:15: “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda criatura”. Temos que seguir em frente com o anúncio do Evangelho Puro e Simples de Jesus Cristo, levar a mensagem legítima da Salvação a todos os povos.

Deus nos abençoe rica e abundantemente!

Peregrino do Evangelho!

1 comentário

PC@maral disse...

Renascer até morrer se tudo estiver bem, se der problemas no "barco" os ratos são os primeiros a cairem fora! rsrsrs

Cláudio, como se diz no meio evangélico, "não existem conscidências e sim Jesuscidências" e o seu texto e o meu texto publicado no PC@maral falam de coisas extamente iguais, e se completam.

Jesus está voltando, está mais próximo do que se pensa estar e as pessoas estão, literalmente, "brincando de igreja" como se fosse um Clube ou o quintal da sua casa. Esquecem-se que o DONO da Igreja é JESUS CRISTO e que ELE vai cobrar de cada um a postura apresentada.

A nossa oração é a mesma do final do meu post:

Que Deus Pai, através do Espírito Santo que habita em cada um de nós, nos dê, cada vez mais discernimento de espíritos, para identificar e denunciar aqueles que fazem comércio da Palavra de Deus, deixando de lado o objetivo principal que é o de salvar vidas, em nome de Jesus Cristo!

Que Deus ilumine e abençoe a todos!

Postar um comentário

Caminhe Com O Peregrino, Faça Seu Comentário!