domingo, 8 de novembro de 2009

Psicologia do Evangelho


                                                                   
João 8: 1-11: “1JESUS, porém, foi para o Monte das Oliveiras.
2E pela manhã cedo tornou para o templo, e todo o povo vinha ter com ele, e, assentando-se, os ensinava.
3E os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério;
4E, pondo-a no meio, disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada, no próprio ato, adulterando.
5E na lei nos mandou Moisés que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes?
6Isto diziam eles, tentando-o, para que tivessem de que o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, escrevia com o dedo na terra.
7E, como insistissem, perguntando-lhe, endireitou-se, e disse-lhes: Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela.
8E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra.
9Quando ouviram isto, redargüidos da consciência, saíram um a um, a começar pelos mais velhos até aos últimos; ficou só Jesus e a mulher que estava no meio.
10E, endireitando-se Jesus, e não vendo ninguém mais do que a mulher, disse-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou?
11E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais”.

A vida terrena de Jesus Cristo é uma ode do Amor de Deus ao ser humano por Ele criado e que separado dele está desde da queda do Éden. Porém Deus providenciou a salvação para o homem, enviando o Seu Unigênito, Jesus Cristo. E Jesus Cristo a todo instante nos convida para entrarmos no Reino de Deus e sermos cidadãos do Reino. O que Ele nos pede? Apenas que O confessemos como nosso Senhor e Salvador e que façamos a vontade do Pai, explicitada no Evangelho.

Naquele dia. Aquela mulher pecou, havia adulterado, fora pega em flagrante delito, e os religiosos da época conduziram-na para Jesus dar o seu veredicto. Na verdade, desejavam colocar o Senhor Jesus em uma situação adversa, constrangedora, queriam provar que Jesus era um herege, que estava contra a lei mosaica.

Jesus Cristo, imperturbável perante as nossas tolices. Aproveitou o momento para nos ensinar: jamais devemos julgar o nosso próximo, ao contrário, devemos nos compadecer da fraqueza alheia buscando sempre erguer o caído: e se fomos nós que nos equivocarmos, modificarmos o nosso proceder para não desequilibrarmos novamente, buscando extrair da experiência amarga e infeliz um aprendizado.

É desta forma, nos conhecendo e nos conscientizando sobre o que nos faz Bem e o que nos faz mal, que evitaremos as quedas e nos reformaremos intimamente e continuamente.

E aplicando a Psicologia do Evangelho em nossas vidas, durante toda a nossa existência nesta terra, alcançaremos a Jerusalém Celestial e veremos ao Senhor Jesus Cristo face a face, e ouviremos do Senhor a seguinte sentença: “Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo” (Mateus  25:34).

Deus nos abençoe rica e abundantemente!

Peregrino do Evangelho.

2 comentários

Geison Stein disse...

Que que isso... Por favor... Se quer usar o nome de Deus para difundir a fé... TUDO BEM!!! Só não envolva a tão já judiada PSICOLOGIA nisto.
Psicologia nada tem haver com religião.
Use o nome de Deus... Faça o que você quiser... Mas não use o nome PSICOLOGIA!
Sou totalmente contra isto!!! Até porque isto NÃO É psicologia. E está MUITO LONGE de ser.
E se você pensou que sou um pecador, uma besta... É só uma prova que é humano tanto quanto eu.
Use o nome que quiser, mas não envolva a Psicologia nisto. Não escreva algo que você não sabe como funciona.

Forte abraço,
Geison.

Peregrino do Evangelho disse...

Amado Geison Stein, se você leu o post deve ter notado que não fiz nenhum desmerecimento da Psicologia, que é uma ciência séria com personalidades de grande destaque na história da humanidade.

A Psicologia de Jesus, ou seja, o modo do Salvador enxergar e tratar o homem é na base do amor, da compreensão, da compaixão. De modo algum disse que a Ciência Psicologia é descartável ou outra definição similar.

Respeito a Psicologia, que como toda a ciência credito todo o respeito, mas de modo algum desrespeitei alguém.

E quanto a ser pecador, eu e você o somos, pois a Bíblia declara que todos pecaram e destituídos estamos da Glória de Deus. E quanto a ser uma besta, não acredito que você o seja tanto quanto eu não o sou.

Não prego religião, prego apenas o Evangelho e você pode constatar lendo cada um dos post já publicados aqui no Peregrino do Evangelho. E o Evangelho é para todos, para mim, para você, para nossos amigos e nossos desafetos.

Se esclarecidas quaisquer dúvidas, receba um grande e fraterno abraço desse seu irmão, pois somos humanos, pecadores e carentes da Graça de Deus.

Postar um comentário

Caminhe Com O Peregrino, Faça Seu Comentário!